6 Coisas que Você Precisa saber sobre o QGIS

Coisas que Você Precisa saber sobre o QGIS

O número de usuários do QGIS só faz crescer em todo o mundo. Nesta matéria vamos listar 6 (seis) coisas que todo utilizador do programa, iniciante ou não, precisa saber sobre esta poderosa ferramenta para Geoprocessamento.

1 – O NOME DO SOFTWARE É QGIS OU QUANTUM GIS?

Esta primeira questão pode até parecer estranha ou mesmo banal, mas temos notado que este ainda é um detalhe importante que tem passado despercebido por muitos usuários do QGIS, inclusive de alguns que são experientes em sua utilização.

O nome do Software é Quantum GIS ou QGIS?

É verdade que o nome do programa era Quantum GIS e costumava-se abreviá-lo indicando entre parênteses que ele também poderia ser chamado por QGIS. Ou seja, era comum a seguinte notação: Quantum GIS (QGIS). Mas as coisas mudaram.

Workshop de Geoprocessamento com Software Livre

Desde setembro de 2013, com o lançamento do QGIS 2.0, o nome oficial do programa passou a ser apenas QGIS. A partir de então o uso do nome Quantum GIS foi descontinuado!

Mas será que isso faz tanta diferença assim? É algo relevante? Sim, é! Por exemplo, se você está escrevendo um trabalho científico (artigo, monografia, dissertação, etc) e deseja mencionar o uso de uma versão do programa a partir da série 2.x deverá usar o nome correto, QGIS, para que sua publicação não traga uma informação incorreta, ou pelo menos incompleta.

Ainda é bastante comum por conta do hábito ouvirmos diversas pessoas chamando o programa de Quantum GIS. Logicamente, com o tempo o uso do nome Quantum GIS também deverá ser “esquecido” de forma verbal, por assim dizer. A ideia aqui é destacar o que é oficial em relação ao nome do software.


2 – COMO SURGIU O PROJETO QGIS?

Conforme explicado no artigo Um desktop potente e amigável (2011), o projeto QGIS teve início em Fevereiro de 2002 tendo o primeiro lançamento do programa ocorrido em Junho do mesmo ano.

A imagem abaixo ilustra a interface do programa em sua versão 0.0.5 Alfa, lançada ainda em 2002. Note a simplicidade dela e os poucos recursos disponíveis na barra de ferramentas. Certamente, muito diferente do robusto programa que temos hoje, mais de uma década depois.

Interface do Software QGIS - Versão 0.0.5 Alfa

O objetivo inicial do projeto era criar um visualizador gratuito para a base de dados geográfica PostGIS que funcionasse em sistemas operacionais livres (GNU/Linux).

Com o tempo, felizmente para nós, o QGIS superou todas essas expectativas iniciais e hoje é aplicação multiplataforma que funciona em todas as principais versões do Unix, GNU/Linux, bem como Mac OsX e MS Windows.

Ele já suporta numerosos formatos vetoriais, raster, e bases de dados, e fornece uma ampla gama de funções de Geoprocessamento para manipulação destes dados.


3 – UMA COMUNIDADE (MUITO) ATIVA DE USUÁRIOS

Se você não sabe disso, precisa sem dúvida de ficar sabendo: O QGIS possui uma das mais ativas comunidades de usuários da área de Geotecnologias.

Comunidade de Usuários do QGIS

Atualmente, a lista de discussão oficial do QGIS Brasil, hospedada nos Google Groups, conta com mais de 1.500 usuários cadastrados e já são cerca de 3.000 tópicos publicados, os quais você pode consultar, agregando conhecimento sobre o programa.

A seguir você confere os links para a lista de discussão mencionada acima, bem como do site da comunidade brasileira do QGIS e do grupo correspondente no Facebook, respectivamente:

Você logo notará que a comunidade QGIS Brasil é muito colaborativa. Sempre tem alguém disposto a ajudar de alguma forma, tirando dúvidas, fazendo testes, enfim, contribuindo de alguma maneira.


4 – O QGIS SE INTEGRA COM DIVERSOS SOFTWARES

Algo que certamente é um dos fatores que mais contribuem para a evolução do QGIS é sua capacidade de integração com diversos outros programas e a ampliação de seus recursos através da instalação de plugins, também chamados de extensões ou complementos.

O QGIS se integra, entre outros pacotes, com o Orfeu ToolBox, Sistema estatístico R, GRASS, Saga GIS, PostgreSQL/PostGIS e Módulo Sextante (Processamento).

O QGIS se integra com inúmeros outros Softwares

Assim o software amplia grandemente seu leque de ferramentas para trabalhar com Processamento Digital de Imagens (PDI), Geoestatística, banco de dados geográficos, análise espacial e muito mais. São centenas de possibilidades!

Nos links abaixo você pode conferir algumas matérias e tutorias que vão exemplificar o que comentamos neste item.


5 – COMO CITAR O QGIS EM MINHAS PUBLICAÇÕES?

Esta é uma dúvida comum e que repetidas vezes é enviada para a lista de discussão mencionada no terceiro item de nossa matéria. É um assunto de preocupação especial para quem deseja mencionar o QGIS em um artigo, por exemplo.

Para ver todas as possibilidades e variações da forma correta de citação de acordo com a faceta do projeto QGIS que você deseja referenciar em seu trabalho, recomendo que acesse o link a seguir:


6 – COMO APRENDER MAIS SOBRE O QGIS

Há vários meios para aprender a utilizar o QGIS. Você pode por exemplo, acompanhar os canais da comunidade QGIS Brasil, já mencionados e linkados acima.

Além disso, não posso deixar de mencionar que nós oferecemos cursos de QGIS, em níveis básico e avançado, tanto nas modalidades presencial como também online. Para saber mais sobre isso, clique no banner abaixo e acessar o site da empresa ClickGeo:

Cursos de QGIS (Básico e Avançado): Presenciais e Online

Por fim, há vários tutoriais sobre usos e aplicações práticas do QGIS em vários blogs que publicam regularmente sobre Geotecnologias. Você pode consultar muito material gratuito na seção de nosso site que é dedicada à publicações sobre o QGIS. Para acessar, basta clicar aqui.


Em conclusão, selecionamos alguns tutoriais e dicas sobre o QGIS que são frequentemente acessados por nossos leitores. Confira:

Logo teremos outras novidades sobre Geoprocessamento com QGIS. Aguardem e deixem seus comentários!

Assine nosso FeedAssine nosso Feed e receba nossas atualizações por e-mail. Curta nossa página no Facebook [PortalClickGeo] e siga nosso Twitter [@ClickGeo] para continuar atualizado sobre o Mundo das Geotecnologias.

Consultor em Geotecnologias, graduado em Geoprocessamento. Instrutor de diversos cursos, presenciais e online, sobre Geotecnologias com Softwares Livres com ênfase em QGIS, gvSIG, PostgreSQL/PostGIS, MapServer e i3Geo.

Você pode gostar...

4 Resultados

  1. Ricardo Vieira disse:

    Comecei a usar o Qgis na versão 1.8, dai por diante sempre o acompanhei, mais intensamente quando entrei para o curso de Tecnologia em Geoprocessamento na UFSM. Atualmente estou usando em um projeto de extensão. Muto bom, devo também meu aprendizado a inúmeros colaboradores que sempre publicam tutorias. Anderson Medeiros, Narcélio de Sá, Jorge Santos etc. Meu muito obrigado.

    • Ricardo,
      Agradeço pela sua resposta ao post. Fico feliz em receber esse tipo de comentário. Ele nos motiva a continuar com nosso trabalho.
      Mantenha contato. Forte abraço!

  2. Marcelo Henrique disse:

    Excelente artigo Anderson Medeiros. Parabéns pelos conteúdos de qualidade que você divulga a comunidade QGIS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *